7 fatos curiosos sobre as águas-vivas


1. Brilhar no escuro 

Isso não acontece com todas, mas muitas águas-vivas possuem órgãos bioluminescentes. Mesmo que pareça estranho, essa é uma das armas usadas por elas para distrair seus predadores.

2. Autoclonagem 

Enquanto muitos cientistas passam a vida estudando técnicas para tornar a clonagem humana possível, as águas-vivas já fazem isso naturalmente. Se uma água-viva é cortada em dois pedaços, ela é capaz de se regenerar e criar dois novos organismos completos.

3. Poder da imortalidade 

Esse é mais um fato que não acontece com todas as espécies, mas a Turritopsis nutricula é a prova de que é possível que uma água-viva não morra nunca. A explicação para essa “imortalidade” se deve à sua capacidade de se transformar de medusa (forma adulta e normalmente conhecida desses animais) para pólipo (fase inicial, em que a água-viva não possui tentáculos) em períodos de estresse. Essa habilidade a mantém viva por muito mais tempo.


4. Nem toda água-viva possui tentáculos 
 Apesar de os tentáculos serem essencialmente importantes para a defesa de algumas espécies de águas-vivas, nem todas possuem tentáculos. A Scyphomedusa deepstaria é um desses exemplos.
5. Sem cérebro 
Águas-vivas não possuem cérebro. Isso não significa que elas não tenham controle sobre suas ações. Os impulsos são enviados ao corpo por meio de uma rede nervosa, que possibilita o desenvolvimento e a coordenação desses animais.
6. Elas podem servir de comida 
Tartarugas comem águas-vivas e as espécies menores até servem de alimento para as maiores, mas você já imaginou humanos comendo água-viva? Soa estranho e não é uma prática rotineira, porém, já aconteceu. Estudantes japoneses aproveitaram esses animais para criar uma espécie de caramelo.


7. Lutam contra a energia nuclear 

Parece até que as águas-vivas têm alguma espécie de consciência ambiental ou senso de ativismo antienergia nuclear. Nos últimos anos, elas foram a causa para o desligamento temporário de diversas usinas. O que acontece é que elas podem, acidentalmente, entupir os tubos de admissão das usinas, localizados no fundo do mar."
Enviar Google Plus

About Antonio Ferreira Nogueira Jr.

Contato- nogueirajr@folha.com.br
Revista- WMB

    Blogger Comment
    Facebook Comment

0 comentários: