Zoológico britânico registra biodiversidade surpreendente no Equador

Uma equipe do Zoológico de Chester, na Grã-Bretanha, viajou para a floresta de Cerro Blanco, no sudoeste do Equador para pesquisar a biodiversidade da região. Com câmeras de controle remoto e observações, os pesquisadores registraram centenas de espécies de plantas e animais em 30 quilômetros de trilhas pela floresta, incluindo este falcão. (Foto: Zoológico de Chester)
Cerro Blanco fica perto de Guayaquil, uma das maiores cidades do país, e está ameaçada pela ocupação humana. Mesmo assim, ainda é o lar para 54 espécies de mamíferos como este bugio, da foto acima. (Foto: Zoológico de Chester)
Este esquilo de Guayaquil é um dos homônimos da cidade, junto com o raro papagaio de Guayaquil, uma espécie ameaçada que foi adotada como símbolo da cidade.(Foto: Zoológico de Chester)
A reserva onde fica a floresta é protegida desde a década de 1990 e está na lista de áreas importantes para aves do país. Nove espécies de aves consideradas ameaçadas globalmente podem ser encontradas na área, que é lar para 221 espécies de aves no total, incluindo esta ave, conhecida como trogón ecuatoriano. (Foto: Zoológico de Chester)
Os funcionários do zoológico completaram a pesquisa em parceria com a Fundação Pro-Bosque, que gerencia a área. Cerro Blanco é uma das poucas florestas tropicais secas que restaram no mundo e é o lar de 12 espécies de répteis, incluindo esta iguana verde. (Foto: Zoológico de Chester)
A floresta cobre partes da costa equatoriana onde vivem muitas espécies, como este caranguejo que habita manguezais. (Foto: Zoológico de Chester)
Também vivem em Cerro Blanco 21 espécies de morcegos, incluindo a espécie acima, um morcego pequeno que se alimenta de néctar e pesa apenas 9,6 gramas. (Foto: Zoológico de Chester)
Esta aranha caranguejeira foi outra espécie que chamou a atenção da equipe. Estas aranhas têm uma cor marrom e laranja quando são jovens. Os machos desenvolvem estas cores chamativas (acima) e as fêmeas ficam totalmente marrom na idade adulta. (Foto: Zoológico de Chester)
Não vimos provas de atividades ilegais e áreas que há apenas 20 anos eram cultivadas agora estão a caminho de retomarem sua antiga glória', afirmou Mark Pilgrim, líder da expedição e diretor geral do Zoológico de Chester. (Foto: Zoológico de Chester)
Da BBC Brasil
Enviar Google Plus

About Antonio Ferreira Nogueira Jr.

Contato- nogueirajr@folha.com.br
Revista- WMB

    Blogger Comment
    Facebook Comment

0 comentários: