Novas e surpreendentes espécies descobertas em 2013

Cientistas do Instituto Smithsonian, nos EUA, descobriram no ano de 2013 uma nova espécie vivendo nas florestas da Colômbia e do Equador. Batizado de olinguito, é a primeira nova espécie carnívora descoberta no Hemisfério Ocidental em 35 anos. Foi necessária mais de uma década para identificar o mamífero, uma descoberta que, segundo os cientistas, é muito rara em pleno século 21. (Foto: Olinguito/Bassaricyon haze).
O Zospeum tholussum é um caracol terrestre com uma concha transparente. A espécie é mais uma da família dos Ellobidae, descoberta em Lukina Jama-Trojama, um complexo de cavernas profundas na Croácia, uma das 20 mais profundas do mundo. (Foto: Zospeum tholussum).
Este novo roedor foi descoberto na província de Chubut, na Argentina. Ele foi batizado de T. kircherorum, em homenagem aos presidentes Nestor Kirchner e Cristina Fernandez de Kirchner. (Foto: T. kircherorum).
Na costa da ilha de Halmahera, na Indonésia, foi descoberta esta nova espécie de tubarão, o Hemiscyllium Halmahera. O animal se move no leito do mar usando as barbatanas para tomar impulso. (Foto: Hemiscyllium Halmahera).
Mas, outra espécie foi descoberta também na movimentada capital do Camboja, Phnom Penh, o costureiro-do-Camboja, ou Orthotomus Chaktomuk. (Foto: Orthotomus Chaktomuk).
Também descoberta na região de Cabo Melville, esta rã, a Cophixalus petrophilus, coloca os ovos em fendas úmidas das rochas da região. (Foto: Cophixalus petrophilus).
Uma expedição às montanhas do Cabo Melville, uma região remota do norte da Austrália, resultou na descoberta de três novas espécies de vertebrados. A mais surpreendente é o pequeno lagarto com a cauda achatada, em forma de folha, batizado de Saltuarius eximius. (Foto: Saltuarius eximius).
Ainda na mesma área da Austrália, este lagarto dourado de membros longos, o Saproscincus saltus, foi descoberto. (Foto: Saprocincus saltus).
Acima, o Austromerope brasiliensis, uma nova espécie de inseto descoberta no Brasil, membro da família Meropeidae. (Foto: Austromerope brasiliensis).
Apesar de ter sido descoberto em 1939, pesquisadores sudaneses apenas recentemente conseguiram identificar e descrever este morcego, que tem manchas e listras brancas pelo corpo, que lembram um urso panda. Ele foi batizado de Niumbaha superba. (Foto: Niumbaha superba).
Pesquisadores descobriram outra espécie, esta anta da região da Amazônia, a Tapirus kabomani. A descoberta foi apresentada na revista especializada 'Journal of Mammalogy'. Mas, esta pequena anta já era conhecida pelas tribos indígenas locais. Ela vive na bacia do rio Amazonas no Brasil e na Colômbia. (Foto: Tapirus kabomani).
Da BBC Brasil
Enviar Google Plus

About Antonio Ferreira Nogueira Jr.

Contato- nogueirajr@folha.com.br
Revista- WMB

    Blogger Comment
    Facebook Comment

0 comentários: