10 nomes engraçados de aves brasileiras

Lavadeira-mascarada, seu habitat é junto a rios ou lagoas.
O famoso “jeitinho brasileiro” pode ter uma conotação ruim para muitas pessoas. Entretanto, é inegável a criatividade no país tupiniquim para resolver determinadas questões. Nessa onda, sobra até para as espécies animais, que são batizados com nomes um tanto cômicos, confira abaixo.

Painho-de-cauda-forcada (Oceanodroma leucorhoa): Trata-se de uma ave marinha muito comum nas ilhas da Escócia, Noruega e Islândia.  Apesar de pequena, a espécie se destaca pela sua capacidade de enfrentar ventos fortes. Alcança o litoral brasileiro, desde o Amapá até o trópico de Capricórnio.

Schlawe/cc
 Polícia-inglesa-do-norte (Sturnella militaris): Também conhecido como Baieta, Papa-arroz , Pipira-do-campo e Papo-de-fogo, esta ave é comum em áreas não florestadas da Amazônia. Costuma andar pelo chão e empoleirar-se em arbustos baixos. Seu nome faz referência ao uniforme dos militares europeus do século XVIII, segundo o Wikiaves.

Bird Photos/cc
 Saí-de-perna-amarela (Cyanerpes caeruleus): Essa ave também é conhecida como outro nome engraçado: Tem-tem-do-Espírito-Santo. A espécie habita regiões amazônicas.

Mike's Birds/cc
 Rendeira (Manacus manacus): Seu nome vem do holandês “manakin”, que significa pequena coisa linda. A espécie está presente na maior parte da amazônia brasileira e ao leste segue de Pernambuco até Santa Catarina. Dependendo da região, o pássaro pode ser chamado de barbudinho, cabeça-de-prata, corrupião, maria-rendeira, monge, quebra-nozes, entre outros.

Shriram Rajagopalan/cc
 Lavadeira-mascarada (Fluvicola nengeta): Tal ave possui duas populações distantes, uma no leste brasileiro e outra no noroeste da América do Sul. Ela também é conhecida como viuvinha, maria-lencinho, senhorinha, lavadeira-de-Deus. O seu habitat é junto a rios ou lagoas.

Dario Sanches/Flickr
 Tempera-viola (Saltator maximus): Presente em toda a Amazônia, nas regiões central e leste do Brasil chegando à São Paulo e Rio de Janeiro, esta ave também é chamada de Estevam, Sabiá-gongá, Sabiá-pimenta e Trinca-ferro.

Kathy & sam/cc
 Noivinha (Xolmis irupero): Conhecida popularmente por viuvinha, acredita-se que o nome desta ave tenha origem asteca e signifique pássaro problemático. Bela ave do sertão nordestino, a espécie habita a caatinga e a beira de brejos, em especial, no nordeste e no sul do Brasil.

Lip Kee Yap/cc
 Príncipe (Pyrocephalus rubinus): Chamado de Barão do Melgaço ou são-joãozinho, este pássaro é mais notado no final de junho, próximo aos festejos juninos. Seu vermelho vivo contrasta com o dorso escuro. É uma ave migratória que vai da região sul e sudeste do Brasil para a Amazônia.

Julian Londono/cc
 João-pobre (Serpophaga nigricans): Ave cujo nome significa “comedor de mosquitos escuro”. Ele vive em beira de lagoas, rios e açudes se alimentando de insetos capturados em voo. Há espécies da Argentina ao sudeste do Brasil.

Dario Sanches/Flickr
Maria-leque (Onychorhynchus coronatus): Também conhecida também como maria-lecre e pavãozinho, esta ave é famosa por seu penacho que abre como um leque. É presente em toda a amazônia brasileira.

Hector Bottai/cc
Enviar Google Plus

About Antonio Ferreira Nogueira Jr.

Contato- nogueirajr@folha.com.br
Revista- WMB

    Blogger Comment
    Facebook Comment

0 comentários: