Imagens impressionantes são expostas em 1º museu do mundo dedicado a micróbios

Imagem mostra micróbios orais, conjunto de micróbios que habitam a boca humana
"Você não pode vê-los, mas eles estão aí. Em suas mãos, boca, estômago... E também tem impacto em tudo que te rodeia, como cheiros e sabores que você sente.

Da BBC

Há exatamente um ano, o fascinante mundo dos micróbios ganhou um lugar para ser exibido: o museu Micropia, em Amsterdã, na Holanda, o primeiro do mundo dedicado especificamente a esses micro-organismos.

Micróbio é um nome genérico para qualquer organismo vivo visível apenas no microscópio.

Aqui, mostramos algumas impressionantes imagens deste universo paralelo e invisível.

10 micróbios para cada uma de suas células


Placas de Petri expostas no museu Micropia mostram distintos micro-organismos ou micróbios como bactérias, fungos, arqueias e vírus.

Ao todo, para cada célula de nosso corpo, há 20 micróbios.

Estima-se que existam 100 trilhões de bactérias em um corpo humano. São seres vivos: se movem, comem, crescem e se reproduzem. As menores tem 0,1 micrômetros de comprimento - cerca de 500 vezes menor que a espessura de um cabelo humano.

Vírus, os mais numerosos do planeta


Os vírus têm um tamanho muito menor que outros micro-organismos. Podem ser centenas de vezes menores que as bactérias médias.

Eles são as entidades biológicas mais numerosas da Terra. Estima-se, por exemplo, que uma só gota de água do mar possa ter 10 milhões de vírus, mas poucos são infecciosos para animais grandes, como o ser humano.

Mais do que isso: muitos vírus são benéficos para o ser humano. Vivem como parasitas nas bactérias, mantendo sob controle o número de bactérias prejudiciais.

150 espécies de fungos nos pés


Este fungo, o Trichophyton rubrum, é um dos moradores mais conhecidos de sua pele.

Pode causar pé de atleta ou fungos nas unhas. Estima-se que em cada pé humano vivam cerca de 150 espécies diferentes de fungos, cerca de 60 nas unhas e 40 entre os dedos dos pés.

O lugar preferido do Trichophyton rubrum para viver é o espaço entre o quarto e o quinto dedo do pé, onde as condições de pressão, umidade e temperatura são mais altas.

E fora do corpo


As diatomáceas são uma espécie de alga unicelular chave para a produção de oxigênio na Terra.

Se protegem de seus inimigos com uma espécie de "casa de cristal" que rodeia seu núcleo, como se fosse uma forte armadura de sílica.

Algumas diatomáceas têm, inclusive, uma espécie de espinho para aumentar ainda mais sua proteção.

'O animal mais resistente da natureza'


Os tardígrados, também chamados de ursos d'água por seu aspecto e lentidão dos movimentos, podem sobreviver nas condições mais extremas durante anos. Por isso, são conhecidos como "os animais mais resistentes da natureza".

Têm oito patas, olhos, nervos, músculos e uma boca como um focinho. Podem sobreviver no vazio do espaço, em água fervendo, em gelo ou no fundo do mar.

Costumam viver em musgos, liquens e samambaias, como em pedras e telhas. Os menores podem medir apenas 0,05 mm."
Enviar Google Plus

About Antonio Ferreira Nogueira Jr.

Contato- nogueirajr@folha.com.br
Revista- WMB

    Blogger Comment
    Facebook Comment

0 comentários: